domingo, 30 de junho de 2013

Los hermanos "arrentinos" tiram onda com o palhaço global

A tv pública argentina fez frente à desinformação por lá, dirigida pelos meios de comunicação privados. A grita foi enorme, "ataque à liberdade de imprensa", ou seja, a liberdade de mentir sem desmentidos à altura. O programa jornalístico 6,7,8 começava quando terminava o "jornal nacional" de lá, da rede Clarín, e dava as mesmas notícias, mostrando outros lados, explicando as distorções, os interesses escondidos atrás dessas distorções, seus porquês, seus comos, e apresentava o que tinha acontecido na verdade. Assim o governo teve condições e apoio pra implantar a ley de medios, a lei de telecomunicações da Argentina, que acabou com o excessivo monopólio midiático. Um passo na direção da informação popular.

Isso deu força e audiência ao canal público. Eis que me deparo com os comentários bem humorados a respeito da mudança midiática em relação às manifestações, caricaturada no comentarista palhaço - que há pouco tempo "denunciou" a presença de 60 mil guerrilheiros cubanos na Venezuela, pra "atacar a oposição". Isso devia passar por aqui.



9 comentários:

  1. Nossa bem interessante, apesar de eu não ter entendido mt bem.

    ResponderExcluir
  2. A comparação entre falas do paiaço não precisa de tradución. O resto é língua hermana, vai acostumando. Não entendo como, com todos os países de fronteira falando español (à exceção das Guianas), no Brasil essa é uma língua pouco falada. Só pode ser influência da cultura subalterna a Europa e Estados Unidos, imposta de fora e abraçada pela elite interna subalternizada. De frente pros saqueadores mundiais, de costas pra América Latina, da qual somos parte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá de sacanagem... Sofro de uma psicopatia chamada anglofobia. Espero um dia superar, mas por enquanto...

      Excluir
  3. ehehehhehe Eduardo, você tem uns videos bem legais cara. Mano, tô de cama aqui, doente, e queria saber se você pode me indicar alguns documentários para eu achar na Internet para assistir. Tô lendo O direito a preguiça Paul Lafargue, O ócio criativo e o futuro do trabalho de Domenico de Masi, muito legal cara, falam muito sobre os valores de mercado que entraram na vida das pessoas. Se tu quiser posso te mandar por e-mail os arquivos em pdf, tô com uns 15 mil e-books aqui. Abração mano e continuo observando e absorvendo por aqui e na rua. Forte abraço.

    Aleks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, assiste "o povo brasileiro", do Darcy Ribeiro, pra formar uma visão dessa nossa população variadíssima, suas origens, sua formação e suas diferenças. São dez módulos de cinqüenta minutos, como se fossem aulas.

      "Conversas com Milton Santos - a globalização vista pelo lado de cá", do Silvio Tendler, também é fundamental.

      Quanto a livros, se você já leu "Veias abertas da América Latina", de Eduardo Galeano, "Confissões de um assassino econômico", de John Perkins, e "A melhor democracia que o dinheiro pode comprar", de Greg Palast, a partir da segunda edição, onde ele inclui o "capítulo brasileiro".

      Melhoras, parceiro.

      Excluir
  4. Assisti um documentário aqui do seu blogue sobre uma revolução política "Pots, pans and other solutions", sobre o que aconteceu na Islândia. Muito bom cara, sem burocracia fdp e muito organizado, ao contrário do que pensam nossos "líderes" daquilo que o povo pode fazer junto, quando quer o bem da comunidade. Eduardo valew mano, primeiro pelo trabalho no blogue, abrindo mentes, ensinando muita gente a perceber que pode ver as coisas com outros olhos. Aprendo um pouco todos os dias. Indiquei para muita gente e todos tem gostado da forma como você enxerga e fala das coisas do nosso dia a dia.O mundo seria com certeza um lugar melhor com mais pessoas como você nas escolas, nos hospitais, nas igrejas em tantos outros lugares carentes de pensadores mais humanos e reflexivos. Tô baixando o povo brasileiro, o filme a revolução dos bichos e o 1984 de Orwell. Quanto aos livros comecei a ler este que você indicou do Eduardo (Seu xará rs) Galeano, cara, muito bom a abordagem da história e as questões da história das Américas.

    Mais uma vez, brigado ae parceiro. Forte abraço e parabéns pelo trabalho cara. Você é um artista do povo brasileiro, nem para, nem por, mas do meio da gente, de nós.

    Precisando de mão pra uma força vc tem meu e-mail.

    ResponderExcluir
  5. realmente, n precisa de traducion. to conhecendo teu trabalho, muito bom, parabéns.

    ResponderExcluir
  6. Estamos falando de igual para igual, tudo o que vejo é uma mera adaptação aos interesses de cada grupo, por um lado os que estão a favor do que passa na política e por outro os que estão contra às ações do governo... blá, blá, blá... o que esse "paiaço" faz é defender o peronismo da chefa que paga a ele, conhecida como kris kirchner... suas defesas cheias de mentiras iguais às do grupo clarin, porém com outro contexto... porque ao invés de falar que tal grupo mente não busca solucionar problemas urgentes? porque em lugar de defender a "ley de medios" nao procura colocar uma "ley de defenza a los niños de la calle"?? enquanto esses grupos estão discutindo banalidades vejo nos subterraneos crianças sendo obrigadas a trabalhar pedindo esmola enquanto seus pais às esperam no ultimo vagão do trem e drogados ou tomando cerveja, a mãe com uma crianca no ventre e outra no colo, enquanto os mais velhos (6, 7, 8...anos) sujos e famintos de comida, diversão, amor... pedem esmolas. Por isso que eu falo, é tudo farinha do mesmo saco mesmo... Arnaldo Jabor, Victor Hugo"o palhaço", Cristina K, Clarin, funcionarios da politica, assassinos, ladroes, alienados etc...

    ResponderExcluir

observar e absorver

Aqui procuramos causar reflexão.