quinta-feira, 30 de junho de 2011

O “Paraguai” africano



O Paraguai africano ou

Líbia – uma guerra trágica com pretextos patéticos


O que os países que representam o império da atualidade, econômico-financeiro, estão fazendo à Líbia é o mesmo que foi feito no Paraguai, em circunstâncias e condições de outra época, mas essencialmente a mesma coisa.

O índice de pobreza é baixíssimo, o serviço público e gratuito é de qualidade. Não há revolta popular, na Líbia. O que há é o investimento numa oposição fraca e desorganizada, com treinamento, armas, instruções, contratação de homens, um trabalho de serviços secretos, fomentando a derrubada do regime líbio pra mudar sua posição política na direção de favorecer as grandes empresas do império, que já negociam por lá, mas sem as facilidades que gostariam e às quais estão mais que acostumadas, com os limites impostos pela política de Kaddafi. Ele sempre foi uma pedra no sapato dessas mega-empresas, antes atreladas aos Estados mais ricos, agora no comando. Só afrouxou um pouco quando viu o que os Estados Unidos fizeram com o Iraque. Até então, nem negociava com as petroleiras ocidentais, a não ser através da sua estatal. Aí permitiu a entrada delas em operação no território líbio, mas impondo regras e limites. Há pouco tempo, apresentou a proposta de criação de uma moeda única africana, desligada do dólar, na ONU. Alguns países africanos demonstraram interesse e quase aconteceu, teve que rolar movimentação rápida dos poderosos e suas formas de pressionar os Estados via econômica, política ou militar. Os banqueiros internacionais ficaram furiosos e resolveram derrubar Kaddafi, de qualquer maneira. Afinal, são eles quem financia o controle das maiores máquinas de guerra do planeta, sustentando governos em todas as suas instâncias e ditando as políticas dos Estados. A Líbia já era um péssimo exemplo, há muito tempo, e essa foi a gota d’água. As revoltas no mundo árabe, justamente devido à implantação da políticas de geração de lucro e miséria para empresas e povos, respectivamente, levantou a poeira e favoreceu o início do movimento armado, devidamente distorcido pelas mídias. A campanha dos "grandes meios de comunicação" prepara a opinião pública, com pretextos patéticos para uma “guerra humanitária” (absurda contradição, um paradoxo em si), os ataques aéreos, a destruição da infra-estrutura do país e o suporte aos "opositores", ignorando-se as cifras de mortes entre a população civil. Guerra humanitária! Hipocrisia sem limite, isso sim.

O Paraguai era o país mais independente da América Latina. Recusava os empréstimos oferecidos pelos banqueiros ingleses, apesar da insistência destes em “investimentos em infra-estrutura” que, na verdade, amarrariam o país em dívidas, como estavam amarrados todos os países constituídos na América Latina, menos o Paraguai. Este desenvolvia suas tecnologias dando bolsas de estudos a estudantes paraguaios para que fossem aprender as tecnologias européias em Londres, Paris, onde estivessem. Com isso formou seu parque industrial, garantiu independência econômica e evitou a intromissão nos assuntos do país. Por isso se juntaram Brasil, Uruguai e Argentina para destruir o Paraguai, orquestrados pela Inglaterra. Suas fábricas foram destruídas, os destroços atirados nos rios, 40% da população foi morta, mais de 90% dos homens, as mulheres foram estupradas, muitas raptadas pelos homens dos exércitos e trazidas na viagem de volta, como diversão. Os puteiros das cidades se encheram de paraguaias. O arquivo nacional paraguaio foi roubado e está até hoje no Brasil, sem prazo pra devolução – imagino o que não deve haver ali em revelações escandalosas sobre a própria guerra, suas motivações e conseqüências.

Bem, há diferenças brutais, é claro, a Líbia é um país do petróleo, o mundo é muito outro, mas há sempre a semelhança da necessidade de destruir o que não se submete, de apresentar massacres e destruições como necessidades, de conduzir a opinião pública, de alegar pretextos mentirosos para atingir objetivos escondidos. Duas nações pequenas e valentes, que não se curvaram às potências do momento e se tornam vítimas da ambição genocida dos poderosos do mundo.

Abaixo, trechos de um artigo que recebi ontem, só pra ilustrar.

“ONU Constatou em 2007, sob o governo de Kadafi:


1 - Maior Indice de Desenvolvimento Humano (IDH) da África (até hoje é maior que o do Brasil);
2 - Ensino gratuito até a Universidade;
3 - 10% dos alunos universitários estudam na Europa, EUA, tudo pago;
4 - Ao casar, o casal recebe até U$$50.000 para adquirir seus bens;
5 - Sistema médico gratuito, rivalizando com os europeus. Equipamentos de última geração, etc...;
6 - Empréstimos pelo banco estatal sem juros;
7 - Inaugurado em 2007, maior sistema de irrigação do mundo, vem tornando o deserto (95% da Líbia), em fazendas produtoras de alimentos.;


Porque detonar a Líbia então?


1 -Tomar seu petróleo de boa qualidade e com volume superior a 45 bilhões de barris em reservas;
2 - Fazer com que todo mar Mediterrâneo fique sob controle da OTAN. Só falta agora a Síria;
3 - O Banco Central Líbio não é atrelado ao sistema mundial Financeiro. Atrelá-lo. Suas reservas são toneladas de ouro, dando respaldo ao valor da moeda, o dinar, e desatrelando das flutuações do dólar.


O sistema financeiro internacional ficou possesso com Kaddafi, após ele propor, e quase conseguir, que os países africanos formassem uma moeda única, sem atrelamento ao dólar.
A OTAN comandada pelos EUA, já bombardearam as principais cidades Líbias com milhares de bombas e mísseis que são capazes de destruir um quarteirão inteiro. Os prédios e infra estrutura de água, esgoto, gás e luz estão sèriamente danificados;
As bombas usadas contem DU (Uranio depletado) tempo de vida 3 bilhões de anos (causa câncer e deformações genéticas);
Metade das crianças líbias está traumatizada psicológicamente por causa das explosões que parecem um terremoto e racham as casas;
Com o bloqueio marítimo e aéreo da OTAN, principalmente as crianças sofrem com a falta de remédios e alimentos;
A água já não mais é potável em boa parte do país. De novo as crianças são as mais atingidas;
Cerca de 150.000 pessoas por dia, estão deixando o país através das fronteiras com a Tunísia e o Egito. Vão para o deserto ao relento, sem água nem comida...
Se o bombardeio terminasse hoje, cerca de 4 milhões de pessoas estariam precisando de ajuda humanitária para sobreviver: Água e comida.
De uma população de 6,5 milhões de pessoas.”

Os dados acima foram retirados de www.globalresearch.ca
Em http://titaferreira.multiply.com/market/item/1978/1978

"A libia dispõe de uma Holding de investimentos com valores superiores a 65 bilhões de dólares e estes investimentos estão diversificados em várias partes do mundo. Inclusive no Brasil, na obra de Jirau.
Nome da Holding: Libya Arab Africa Investiment Company (LAAICO)"

www.paklibya.com.pk/


Diversas Fontes:
http://rio-negocios.com/do-financial-times-ao-juventus/
http://www.araboo.com/dir/libya-holding-companies
http://www.africa21digital.com/noticia.kmf?cod=10168647&indice=760&canal=402

                                                                                                               Helio Pereira


4 comentários:

  1. e a globo colocando lenha na fogueira, depreciando Khadafi, chamando de ditador, como se ela, globo, não fosse irmã siamesa da ditadura de 64 no BR. Eu desconhecia esses dados que tu postou aí sobre a Líbia.

    ResponderExcluir
  2. e o BR é o império da américa latina!

    ResponderExcluir
  3. Tem uma questão a mais. E que eu acho uma das mais interessadas pelas potencias mundias.

    A libia dispõe de uma Holding de investimentos com valores superiores a 65 bilhões de dólares e estes investimentos estão diversificados em várias partes do mundo. Inclusive no Brasil, na obra de Jirau.

    Nome da Holding: Libya Arab Africa Investiment Company (LAAICO)

    Site: www.paklibya.com.pk/

    Diversas Fontes:
    http://rio-negocios.com/do-financial-times-ao-juventus/

    http://www.araboo.com/dir/libya-holding-companies

    http://www.africa21digital.com/noticia.kmf?cod=10168647&indice=760&canal=402

    ResponderExcluir
  4. Sensacional Eduardo. Fiz questão de usar o login de um amigo na globo.com para postar o artigo que você citou.
    É ridículo como o povo aceita tudo que é imposto pela midia e pelos poderosos sem questionar nada.

    Link para a matéria onde postei o artigo: http://g1.globo.com/revolta-arabe/noticia/2011/09/em-radio-siria-kadhafi-diz-que-noticia-sobre-sua-fuga-e-guerra-psicologica.html

    ResponderExcluir

observar e absorver

Aqui procuramos causar reflexão.