segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

"Mensalão"

Ora bolas. Lá vou eu falar no “mensalão”, de novo.

Existem vários interesses na criação desse espectro, o “mensalão”, dinheiro usado pra comprar parlamentares. Na verdade é uma figura de mídia. O parlamento, desde que foi fundado por um rei, Dom Pedro primeiro, sempre foi um balcão de negócios do patrimônio público com o poder privado. Os parlamentares sempre foram comprados e todo mundo sabe disso. Não entendo o que acontece pras pessoas irem votar nessa farsa, acreditarem nas mentiras cotidianas, deixarem sua visão de mundo, suas idéias, seus desejos, seus objetivos de vida serem ditados por um condicionamento planejado e implantado sobretudo pela mídia, rádios e televisões, formando visões de mundo, comportamentos, deformando a realidade de forma a manter privilégios pra uma minoria e, pra isso, negar direitos a uma enorme maioria. Esse é, como gostam de dizer os acadêmicos, o “modus operandi” do parlamento.

Um boy do parlamento do Rio de Janeiro me contou, em 2000 ou 2001, que entregava um envelope da fetranspor, a federação patronal das empresas de transporte rodoviário – não sei se de cargas também, além de passageiros – em todos os gabinetes dos deputados, ou vereadores, sei lá, não lembro, de todos os partidos. Eu estranhei, quis saber como era isso, conversa de calçada, em beira de banca, expondo, o que dá até mais liberdade pras figuras falarem a verdade sem medo. Ele disse que os envelopes dos partidos do governo, os direita, eram mais gordos, mais pesados. O do partido comunista – e aí eu fiquei pasmo – era bem magrinho, mas não deixava de ir, e os caras recebiam.

As propostas podem ser lindas, mas a realidade do procedimento institucional é espúria. Não só pelo relato do cara, são muitos os acontecimentos, esse é só mais um. O parlamentar, por mais bem intencionado que seja, precisa adotar comportamentos, procedimentos e maneiras que são inerentes àquele meio, o político partidário. Se não por si, por meio dos seus assessores, os partidários, adaptados aos procedimentos. Meios sujos, fingir, simular, trocar segredos, armar o jogo, usar insinceridade, sorrir pra quem cê tá armando. Há quem vá por aí e não sou ninguém pra condenar, pra dizer que tá errado. Apenas eu não consigo. Sigo por outro lado, digamos assim. São tantos, infinitos modos de se viver com proveito, dentro da coletividade...

Vejo pessoas instruídas falando nesse “mensalão” de uma forma que me deixa triste. Reproduzem a repulsa de classe, assimilam o ódio antipetista como se fosse um partido o responsável por esse descalabro social em que vivemos. E abrem mão de ver a realidade de uma estrutura social dominada por interesses empresariais, com mentalidades implantadas neste sentido, num mundo de concentração total de poderes, tanto políticos quanto econômicos. Aliás, os poderes políticos estão dominados pelos econômico-financeiros. E é a nossa mentalidade, a geral, que alimenta isso. Competitividade, busca de excessos, desejos de “vencer na vida”, ser melhor que os outros, usufruir de privilégios enquanto existe miséria, consumos e consumos, ver o mundo como uma arena onde são todos contra todos e que vença o melhor. O inferno.

Não me venha falar de mensalão, por favor. Pra mim, é um atestado de alienação. Pior, uma demonstração de teleguiamento, se é que se pode falar assim.

24 comentários:

  1. É isso. A estrutura está errada. E ela é sustentada por quem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ora, Zé, pelos de baixo. Sem que eles saibam, claro, pra isso lhe roubam os direitos básicos, sobretudo à educação que mereça esse nome e a informações verdadeiras. Li recentemente "A sociedade justa e seus inimigos", esclarecedor livro da Tomo Editorial, de Porto Alegre, que aborda e desberlota o sistema tributário. Os de baixo constróem, mantêm e sustentam a porra toda, coisa revoltante, como se pode usufruir tranqüilamente de privilégios? Desumano, nojento, vergonhoso, enquanto for essa injustiça descaradamente total, qualquer privilegio material é criminoso. Aliás, crimes morais estão na construção desta nossa sociedadezinha de merda.

      Excluir
  2. http://www1.folha.uol.com.br/colunas/ricardomelo/2014/01/1396816-o-ensaio-de-golpe-branco-do-stf.shtml

    E vamo pra frente...

    ResponderExcluir
  3. Tem gente que esquece como e por quem o parlamento foi formado no Brasil, por pobre que não foi. Pobre é mais pragmático, não gosta de politicagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pergunta prum pobre se ele é "pragmático"... rsrs

      Excluir
  4. Se alguns fossem um pouquinho mais antenados, já perceberiam o quanto o chamado "mensalão" é, também, de interesse do sr. Mercado, do Sistema; por essa razão a mídia capitalista/neoliberal não deixa UM DIA sem trazer à memória do consumidor midiático, a lembrança do que foi esse Julgamento do Século, segundo a própria mídia. Além disso, ninguém explica quem pagou os horários comerciais de todas as seções desse julgamento transmitidas durante horas, ao vivo. Quem arcou com isso? E, qual foi a razão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual foi a razão é o mais importante, pra que se perceba o óbvio.

      Excluir
  5. Sabemos a razão, não é Eduardo? Temos essa "sorte"; a maioria nem sequer pensa, sobre.

    ResponderExcluir
  6. Diz que é contra o sistema, contra o liberalismo do mercado, tudo bem mas a pergunta é : Voce é a favor de que exatamente? porque dizer o que não quer o que não concorda é a parte facil .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De respeito. É desconcertante tamanha simplicidade. Se e quando houver respeito de verdade, acabam todos os problemas criados pela conformação social que privilegia um punhado e põe "a ferros" a esmagadora maioria.

      Não estou apenas "dizendo", mas concluindo a partir de vivências reais, onde me expus a tudo que os mais pobres são expostos, desci a escala material até o chão, dispensei privilégios e estou no risco por isso. E não lamento, porque o que ganhei compensa de longe as perdas materiais. Não desejo os bons tratos dos privilegiados, isso me daria vergonha, usufruir de excessos e luxos me parece constrangedor.

      Sou a favor de respeito, solidariedade, cooperação. Sou condenado a uma permanente inconformação, pois existo numa coletividade que produz abandono, miséria, exploração e sofrimento desnecessário. E não pretendo esquecer isso.

      Só não entendi onde se baseou sua primeira frase, "diz que é contra o sistema, contra o liberalismo do mercado,..."

      Excluir
    2. Sergio, creio que você deve ser bem jovem, não é? Quanto a sua pergunta sou a favor de JUSTIÇA!!!!!!!!! Uma das formas de se ajudar a desenvolver um sentido crítico, nas pessoas mais jovens, é exatamente gritando - EXACERBADAMENTE - contra o sistema que aí está, destruindo Natureza, Planeta e o animal humano, entre outros. Desse sentido crítico, nasce naturalmente os questionamentos e os devidos posicionamentos mais em acordo com aquilo que é denominado de Humano, em suas melhores características, advindo dai a JUSTIÇA!

      Excluir
    3. É qual é a razão Maria-Estrela da mídia atacar tanto o PT? Dá mais audiência entre os trabalhadores?

      Excluir
    4. Bullet, http://maria-estrela-lunar-amarela.blogspot.com.br/,
      Dê uma olhadinha, se vc. quiser nesse blog que assino; ali você vai encontrar resposta, que tenho, pra sua pergunta. Gostaria de conversar mais com você, certo?

      Excluir
    5. Se quiser conversar, melhor pessoalmente, enquanto exponho. O computador já me toma tempo a mais do que eu posso. Se você mora no Rio, aí é tranqüilo.

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Eduardo, primeiramente parabéns pela sua percepção realista do mundo que muitos de nós desprezamos, me incluo nessa! Pelo visto você é o cara que questiona muito o mundo em que vivemos, espero que eu possa humildemente plantar uma sementinha dentro de você.
    Você era um cara da elite muito inteligente que escolheu viver na simplicidade, admiro muito isto! Vejo que você adquiriu muita sabedoria durante todo esse tempo e agora conhece a vida do povo brasileiro como ninguém, isso é perfeito! Para você nos ajudar a fazer a diferença nesse mundo, minha humilde sugestão é que se candidate a política.... sei lá cara, talvez possa começar bem pequeno como vereador, depois prefeito, governador, senador e quem sabe presidente da república, não acho que sonhar alto é demais. Tenho certeza com a força da Internet e com seus bons exemplos você conseguiria galgar uma posição nesse meio, faria de tudo para ajudá-lo, apesar de ser um mero analista de sistemas.
    Com isso, você poderia aplicar toda sua vivência propondo as leis para melhorar a vida do nosso povo, denunciar a corrupção, e principalmente dar o exemplo para esses FILHAS DA PUTA do governo. Seria lindo essa história!
    Outro conselho, fiquei um pouco decepcionado quando vi seu comentário no TED sobre as religiões, eu sei que os homens distorceram muito a fé em Deus, mas se abstraindo de qualquer tipo religião, eu lhe peço com sinceridade a conhecer a vida de Jesus, esse foi um cara simples como você que com exemplos e concelhos mudou o mundo nos quatros cantos da terra. Por favor, não vale a pena levar essa descrença pra frente, você só irá corroborar com o distanciamento da busca de bons exemplos aqui na terra. Confesso que eu não tenho nenhum exemplo no mundo atual que eu possa seguir, o único ser que viveu nesse mundo que eu posso levar como exemplo, é Jesus. Diversas pessoas escreveram sobre ele e todas as histórias convergem para o verdadeiro sentido da Vida, aliás você é um dos poucos que prega muito seu ensinamentos, talvez sem conhecer essa linda história.
    Pode contar comigo, grande abraço e reflita sobre isso!
    Fabrizio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo discordo com voce,se voce conhecer a biblia voce vera quantas discordancias existem na mesma.Religiões são formas de alienar as pessoas.Ter fé em um Deus e por tudo nas mão dele não leva ngm a nada.Porém não ligo para quem tem crença em religiões,porém discordo com que eles frenquentem igrejas/cultos pois isso foi feito pelo homem no qual 99% so querem proveito com tais instituições.

      Excluir
    2. Estás loco, compadre...
      Eu não "prego" nada, apenas digo ao mundo o que penso e sinto, através do meu trabalho.
      Os "filhas da puta do governo" são apenas marionetes do poder real, o financeiro, banqueiro, megaempresarial e midiático. Estes sim, são os responsáveis por esta estrutura social que nos inferniza a todos, são os financiadores e, por conseqüência, controladores dos governos, sejam de que partido for. Atacar partidos é brigar com os bonequinhos e fazer o jogo imposto pelo poder real, sem a menor chance de afetá-lo.
      Não conheci Jesus, mas o que dizem dele. Não preciso de muletas pra viver, não preciso acreditar ou desacreditar, minha espiritualidade eu exerço na vida cotidiana, com meus valores e comportamentos, meu caráter e meus sentimentos, minhas escolhas e atitudes. Reconheço minha incapacidade de compreensão, como ser humano, e não me sinto obrigado a ter uma religião, aliás uma das maiores causas de conflito entre a família humana. Na vida não importa o que se acredita, pois isso pode mudar de uma hora pra outra. Na vida importa o que se faz, isso não se pode mudar, fez tá feito e, como num plantio, é preciso colher os frutos que se plantou, doces ou amargos.
      Minha vida é reflexão, todo o tempo. Às vezes até gostaria de desligar, mas não tá sob meu controle.

      Excluir
  9. http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2014/01/empresas-que-mais-financiam-campanhas-optam-por-doacoes-para-tres-partidos-8005.html

    ResponderExcluir
  10. Eduardo, eu estudei e trabalho muito para morar numa casa com rede de esgoto, ter um carro, fazer 4 refeições etc, coisas as quais você denomina privilégio (se estiver errado me desculpe). Você realmente acha minha situação nojenta e vergonhosa??? No mais, sou simpático as suas idéias, compartilho da sua indignação e acho que muita coisa está errada... se não tenho o seu talento para expor minhas idéias, pelo menos carrego essa intuição. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bueno, não julgo ninguém, parceiro, mas situações. Você acha sua situação ostensiva e opulenta?

      Creio que não passei esta idéia, ou falhei na comunicação. Excessos e desperdícios estão algumas escalas mais acima, não? E, pra mim, são causa direta da ausência de direitos para enormes parcelas da população. Acho que cê está numa classe intermediária, programada pra funcionar com especializações na manutenção da estrutura social, programada pra ter direitos e condições de desenvolver seu trabalho "superior" e, direta ou indiretamente, gerenciar a "peãozada". As classes intermediárias ficam pressionadas de cima e de baixo. Ameaças vindas de cima, com exigências de produtividade, e de baixo, dos excluídos do consumo que recebem o massacre publicitário e midiático - e ficam loucos pra consumir, sem condições institucionais. Parte destes topa qualquer parada pra conseguir seu tenizinho de marca. As classes médias me parecem classes "bucha", intermediando os de cima e os de baixo.

      Quem se dá bem são os que passam de helicóptero, que com um telefonema têm um jantar com um senador ou coisa que o valha, que manda remover favelas pra ganhar milhões em cima da desgraça coletiva. Aliás, que faz sua opulência e acumula poderes em cima da desgraça de milhões. Mas este punhado só se dá bem materialmente. Quem se aproxima de qualquer um destes, com senso crítico e intuição, sente o vazio, o peso, a falta de significado de tais "poderes" que fazem essas figuras parecerem mortas por dentro, sem sentimentos, intuições ou clareza de visão, emanando um sentimento de superioridade que é a própria demonstração da sua pequeneza.

      Abraço.

      Excluir
  11. Vi um video seu no youtube, meiosem querer, mas fiquei , pasmo com tantas verdades, que eu e tanta gente não se preocupa. Desde então, venho acompanhando seus videos e idéias que deveriam ser de todos nós. Devemos ser criticos de nós mesmos, e rever nossas prioridades. Obrigado por abrir meus olhos. Tem aqui mais um companheiro na luta contra o nosso verdadeiro inimigo!

    ResponderExcluir
  12. https://www.facebook.com/laercio.fonseca.98?fref=ts

    ResponderExcluir

observar e absorver

Aqui procuramos causar reflexão.