domingo, 27 de julho de 2014

Entrevista à tv Gambiarra

Eu tava nas Brigadas Populares, em Belzonte, ele me ligou. Queria gravar uma entrevista, minhas opiniões sobre a copa. Tá, vamo lá. Era o Fernando da tv Gambiarra, canal na net, nos encontramos no fim da tarde, fomos presse boteco de esquina, próximo à praça grande de Santa Teresa, não lembro o nome agora. A interferência veio a calhar. O miserável catador de latinhas, como um representante dos sabotados sociais, que não tinha como chegar em casa sem levar o que comer, tomou o centro da história e encheu de sentimento, mexeu com a alma. A alegria por um pacote de feijão... A presença dele acrescentou muito, me pergunto o que o trouxe até ali. Acaso, coincidência? Sinto que aí tem coisa, mas não permito à minha razão o atrevimento de entender, de explicar, de se meter onde não é capaz. À razão é permitido criar hipóteses, em equilíbrio com a intuição, sem a pretensão de chegar a conclusões. Fora disso acaba caindo no ridículo.


Algumas cervejas depois o papo já rolava pro lado do desenvolvimento pessoal como base pro desenvolvimento coletivo. Não consegui colocar aqui, fica repetindo o mesmo vídeo e não entra o seguinte. Então publico primeiro o segundo, depois este, que é o primeiro. Estéticamente fica melhor.



15 comentários:

  1. Cara, sou muito fã de te. Na próxima vez que estiver aqui em BH, do coração gostaria de conhecê-lo e trocar ideias, se possível. Tu és um vencedor. Um ser iluminado. Que a "Grande Luz da Consciência do Cosmos" o guie sempre.

    Namastê - Namaskar.

    Abraços fraternais,
    - Luciano Machado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não posso ser vencedor, parceiro, porque não tô competindo. Tô só levando a vida e dando sentido ao meu viver.
      Gracias e abraço.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, como eu gosto de te ouvir... Minhas ideias fervilham.

    ResponderExcluir
  4. Otima entrevista, parabéns ao pessoal da Tv Gambiarra.
    é bom ouvir você Eduardo, sempre escuto repetitivamente suas entrevistas.

    Você é diferente cara, te vejo como alguém iluminado, mas não fico receoso em tentar falar com você,
    sabe como é né, uma pessoa que admiramos as vezes ficamos acanhado a se aproximar com medo da reação dela, acho que é medo.

    Sei lá mais vejo você como aquele amigo da família, esse espírito de família é realmente incrível, quem sente isso com pessoas até então desconhecidas ao olhar e trocar algumas palavras, é uma coisa muito maravilhosa.
    todos nós somos tão próximos, mas tão distantes ao mesmo tempo.

    O pessoal aqui do blog emite essa energia positiva em seus comentários também, acho que todos nós estamos redescobrindo a vida, e não é essa arena de gladiadores na qual nos vemos obrigado a ter que lutar.

    Grande alívio, a um tempo atrás estava depressivo com alguns pensamento errados, (como eu serei visto pelas pessoas se não conseguir isso ou aquilo)

    E Eduardo valeu por ajudar a evoluir esse pensameto.

    Valeu meu Irmão :) espero um dia poder agradecer com um forte abraço.

    (haha que demais o cara do feijão em, fiquei esperando por ele voltar pra mostrar o feijão mais que tudo, hahaha)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os erros existem pra aprendermos a acertar. Errar é direito de quem pretende o acerto. Corrigir é tarefa cotidiana. Grande abraço, cumpade.

      Excluir
    2. Cara, também pensava e ainda penso as vezes, que mesmo sem querer, o mundo nos torna egoístas, desde pequeno também temos esse pensamentos de (como eu serei visto pelas pessoas se não conseguir isso ou aquilo..) vejo muitas pessoas brigando por vagas em universidade, sendo que deveria ser uma obrigação do governo construir mais universidades, mais vagas, no meu estado o maranhão, fica o estado todo disputando vaga a capital... eu não vou pagar pra estudar nunca, usando agora as palavras do Eduardo, o sentido da vida é viver e aprender para tentar fazer valer a pena!

      Eduardo, Danilo, abraço irmãos.

      Excluir
  5. O que tu acha das drogas, Eduardo?
    Qual sua opinião sobre o uso delas?
    A maconha por exemplo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é longo pra falar aqui, que é um lugar de comentários. Mas a criminalidade é que gera o tráfico, a proibição coloca qualquer coisa que se consuma nas mãos da bandidagem - vide lei seca nos stadzunidos, que trouxe a máfia italiana pra traficar birita.

      Excluir
  6. Te achei incrível!! Muito a aprender contigo!!
    Parabéns!!

    ResponderExcluir
  7. Quero saber sua opinião sobre os adolescentes mimados playboys que são revoltados, depressivos e usam drogas?
    Que sempre tiveram tudo o que quiseram em termos materiais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não formo opinião sobre "adolescentes mimados playboys que são revoltados, depressivos e usam drogas". Imagino que não sejam um bloco homogêneo, cada um é cada um. Esse não é o meu meio, tenho mais o que pensar. Lamento a estrutura social que torna possível essa existência, se é que posso falar assim. Essa mesma estrutura proporciona um monte de realidades dolorosas.

      Excluir
  8. Você gosta do pensamento de algum filósofo? Ou sociólogos, cientistas ...

    ResponderExcluir
  9. Cara, me ajuda, tenho tantas perguntas a fazer, poucas respostas encontro nos livros que leio, quanto mais leio, mais questionamentos tenho a fazer, o q achas q eu devo fazer?

    ResponderExcluir

observar e absorver

Aqui procuramos causar reflexão.