segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Aprovação traiçoeira


A aprovação social tem um preço alto. Na alma. E jamais vale a pena. O problema é que, geralmente, só se percebe isso no fim da vida. Os poucos que percebem antes, podem se preparar pra discriminação, pra condenação, pro preconceito dos convencionais.
Os que percebem tarde demais, têm a terrível sensação de ter vivido em vão, de vazio, de não ter vivido e de não ter mais tempo. Eu vi isso exposto na minha frente, de um rico empresário, já perto dos noventa, doente, acompanhado de enfermeira. "A sociedade me vê como um vitorioso, um bem-sucedido. E no meu coração eu me sinto um fracassado." Disse mais, "quando percebi que minha vida tá chegando no fim, olhei pra trás e vi um vazio, tudo o que eu achava importante não valia mais nada..." E o que me tocou mais fundo, um sentimento que eu tinha e que pensava ser algum erro meu, "...a sensação que eu tenho é a de que mentiram pra mim lá no começo da minha vida e eu corri atrás dessa mentira a vida inteira." Era o que eu sentia, as pressões pro enquadramento, as promessas de futuro, mentiras, enganos. Tudo o que me diziam que era pro meu bem, não me parecia. Todo ideal de vida que me apontavam parecia frustrante, posição social, excessos, desfrutes, privilégios sociais, me pareciam mais constrangedores que desejáveis.
Estranho eu em meu meio, no princípio da minha vida. Mas a miséria, a pobreza, a exploração de "serviçais", tornavam todo desfrute constrangedor, pra mim, intuitivamente, sem perceber ainda quase nada da estrutura social. Me constrangia, de alguma forma, a posição de privilegiado social, embora fosse muito confortável. Mas um conforto que custava um desconforto interno sem explicação. Um desconforto que vi em muitos dos meus iguais sociais, os mais sensíveis, sempre exceções. Quase todos permaneceram no desfrute das considerações sociais, convivendo com esse desconforto, coisa que eu não fui capaz. O desconforto físico me pesa menos. E se não tenho nenhuma consideração por esta estrutura de sociedade, por que precisaria de alguma consideração social?

31 comentários:

  1. cara? essa atitude que você ta fazendo... são pouco que tem essa coragem, vamos se por que ELES tenha essa coragem, mais se recua no primeiro em pacto que sente de ante do seus olhos e ouvidos... Eu "MARINALDO" te desejo os parabéns e toda felicidade desse mundo... que a quele que veio nos da exemplo antes de ser massacrado pela metade da humanidade>>"JESUS"<< proteja você e sua família eternamente.. # PARABÉNS CARA..

    ResponderExcluir
  2. Eu sinto como você, rejeitei tudo desse caminho falso da sociedade e todas as tentativas de me reprimir e me condicionar foram em vão. Só me sinto preso a meus pais, o sentimento que tenho por eles parece me impedir de seguir meu rumo...tá foda lidar com essa divisão que me impede o foco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vitor, o Eduardo já mencionou em um dos vários vídeos dele, é bom passar "perrengue", mas não é necessário!(É bom se aproximar dos periféricos) Então brother, não fica frustrado com teus pais, por tentarem te condicionar as coisas que eles julgam certas/necessárias, apenas avalia essas situações e as filtre e aproveita isso para fazer os movimentos da tua vida, almejando os teus ideais, sem essa ruptura com eles! Dá para conduzir nossas vidas de acordo com nossas premissas, a partir do momento em que aprendemos que eles também tem muita coisa pra aprender ( querendo eles ou não hahahha) Enfim meu querido, espero ter ajudado com as palavras! Abraço.

      Excluir
    2. Orgulhar os pais: o maior sucesso terreno que o homem pode conquistar.

      Excluir
    3. Esse é o conflito de muitos, pode ter certeza, irmão. Eu dentre eles.

      Excluir
    4. Concerteza isso é consequencia,e isso não vem de hoje, desde sempre as pessoas sempre tiveram uma visao sobre ''se dar bem na vidaa'' nós que sabemos o real valor.. temos que saber lidar, porq é dificil mano, eu tambem passo por isso, mas tem que fica firme.. é dificil cara, mas é um mau necessario, eu to preso a minha mãe, nunca tinha saido da minha cidade taligado cara,faz 9 meses q to em santa catarina, a 3 meses trouxe minha mae pra cá, e eu me sinto muito preso a ela, minha vida ta praticamente uma bosta porq o conceito de sucesso dela é diferente do meu, entao temos que aprender a lidar com isso, e sinceramente eu nao aprendi ainda, mas esses momentos sao bons pra gente refletir cara e ver oq realmente importa

      Excluir
  3. Grato por mais essas linhas que me dá lucidez e demonstra que não erro em fugir boiada. Avante

    ResponderExcluir
  4. Beleza, irmão? Essa realidade percebida pelo nosso desligamento no sistema bem articulado que vivemos, embora possa ser desconfortável para muitos, seja pela ruptura de nossas correntes presas na matrix ou pela sensação de vazio, é uma liberdade digna como indivíduos. É aí que podemos construir nossos valores com humanidade e quando realmente conseguimos resgatar nossos valores. O sentido da vida, é dar sentido à ela.

    Apenas sou um jovem, tenho 21 anos. Muitas coisas produzidas de sua consciência acerca do mundo enquanto sociedade já me era perceptivelmente muito robótico, mas a forma que você expressa, envolvendo emoção, fez com que eu tivesse uma sensação de quebra-cabeça terminado. Porque vi que não era o único que ficava deprimido ao me deparar com o caos humano. Vi que não era o único a me enxergar como a ovelha negra de um rebanho e um produto (visto com defeito) que não foi feito para seguir regras e normas impostas em um sistema onde somos moldados a viver por um objetivo que tira a nossa autonomia.

    Ainda que eu compreenda como um acaso a meu favor, ou então nosso, não sabe o quanto a existência de pessoas que lutaram arduamente contra si mesmas por uma luz e que se tornaram auto-conscientes me agradam. Se os loucos são quem foge ao que chamam de "normalidade", então terei orgulho de ser anormal diante de uma sociedade doente.

    Abraços, Eduardo!

    ResponderExcluir
  5. Muito legal teus videos... ja conhecia do Youtube.... parabéns... Tem muita verdade... uma únuca observação: vc quer ser ouvido... trocar uma idéia... pensar em um.mundo melhor. Mais solidário...mais humano... Acho que "cigarro" não faz parte desse contexto... destoa de um mundo melhor! Abraço fraterno !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso como a Gisela. Cigarros e bebidas alcoólicas contribuem para a manutenção de uma população doente, em todos os aspectos. Contudo, isso não invalida o conteúdo da mensagem. Isso é o principal.

      Excluir
    2. Duvide de um homem que não possua um vício. Tempos atrás Freud escreveu sobre a necessidade de nos intoxicarmos. Sem qualquer apologia mas aqui não é lugar de falsos moralismos.

      Excluir
    3. Gisela, o titulo do post é justamente "aprovação social" e você fala em cigarro?! um sistema que adoece sua população com açucar, refrigerantes, ele acaba de falar sobre essa geração de excessos...
      sugiro que assista um filme, te fará refletir sobre hipocrisia :"capitão fantastico"
      Fernando, Sartre falava sempre da importancia do processo de expansão da consciencia, (perguntaram a ele se era verdade que se usasse lsd poderia ver deus, e ele respondeu que o lsd era o prórpio deus!) Osho é outro que sempre fala do processo de expansão da consciencia, distingue esse processo por meio da respiração/meditação e do uso de substancias como a maconha!

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Legal para caralho!!!
    Um abraço do oeste do Paraná!
    Continuem!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Parabéns Eduardo pela visão de mundo,temos pensamentos bem parecidos em vários aspectos, me tire uma dúvida grande parte do seu conhecimento foi tirado das ruas mas o restante voc obteve como?? Pois voc tem pouco tempo pra ficar lendo e fazendo pesquisas na internet, como voc aprende tanta coisa??
    Obg, fique com Deus e forte abraço.

    ResponderExcluir
  9. seguindo seus vídeos no you tube fiquei admirada com seu raciocínio ,vc tem minha idade e me identifiquei,mas longe de viver como sem teto "brincadeira ".Acho que seu espírito é velho e bem vivido talvez um dos discípulos de Jesus

    ResponderExcluir
  10. Só passando para agradecer pelo que vc transmite.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Eduardo, venho acompanhando seu trabalho a pouco tempo e percebo que tenho uma certa semelhança com suas ideologias, fico feliz em ter te conhecido.
    Um grande abraço!

    Cristiano Andrade.
    Salvador-BA

    ResponderExcluir
  14. Eduardo, parabéns por este trabalho maravilhoso que vc realiza de promover a reflexão e desconstruir esta ideologia capitalista e desumana. Precisamos de mais pessoas como você, que valorize a vida mais do que o patrimônio!

    Um forte abraço!
    Daniel Santos.
    São Paulo- SP

    ResponderExcluir
  15. Eduardo,sou Alan Souza, ex gerente do tráfico do Rio, ex morador de rua de Salvador e ex garoto de programa, falo de Israel, mês que vem estarei no Brasil, hoje compositor e também escritor, asssiti uma palestra sua, e meus olhos derramaram lagrimas como uma cachoeira descendo do penhasco.. o seu perfil de vida não diferencia da minha na questão do olhar para com as pessoas e a vida. Preciso falar com você,preciso te conhecer- email: pernalonga89@bol.com.br https://www.facebook.com/alan.souzaoficial

    ResponderExcluir
  16. Bom dia,

    Eu queria saber si vcs pudieram por o documental Observar e Absorver com subtitulos en ingles( tem so ate o minuto 30) e em espanhol, tem gente que quer olhar o documentar fora do Brasil, Brigado e disculpa por meu portugues

    ResponderExcluir
  17. Eae Eduardo, beleza ?
    Sou estudante e fiquei impressionado com o repertório reflexivo que você possui.
    Vi uma palestra em que você fala sobre a situação dos estudantes que vêm do ensino público e se deparam com um cursinho pré universitário, a defasagem é gritante.
    Sou um desses.
    Gostaria que você indicasse alguma leitura ou, até mesmo, sites legais para se manter melhor informado com tudo o que tem acontecido...
    valew, abraço!

    ResponderExcluir
  18. el ejemplo. Es lo unico que he visto sirve. Por eso: Gracias por su ejemplo. Exitos, felicidades. Claudia

    ResponderExcluir
  19. Vc tem que da uma palestra aqui na Bahia ,em feira de Santana

    ResponderExcluir
  20. Quando vi seu primeiro video eu tive a impressao de ja ter te trombado em alguma quebrada desse mundão. TE admiro pela pessoa que és e se tivéssemos mais caras como você aqui, esse país seria totalmente diferente. Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  21. Eduardo, boa tarde. Me chamo Fernando, moro no interior do Rio e vou frequentemente a Niterói, pois tenho alguns parentes morando aí (em uma entrevista a um programa de TV de Florianópolis vc disse morar em Niterói). Uma dúvida que tenho é sobre a questão da sabotagem da educação pública que temos em nosso país, pelo menos em nosso Estado. Me formei em escola pública e no primeiro ano do colegial não tivemos professor de química e no segundo ano, faltou o de física. Assim mesmo nos deram o diploma, não sei como, mas deram. Vc teve a oportunidade de estudar nos melhores colégios, isso te deu uma boa base para a forma com que fala, com que escreve. Como as pessoas da periferia podem chegar ao nível de conhecimento com essa educação precária que temos? Um forte abraço e parabéns pelos trabalhos e pelas palavras que me fazem cada dia mais, observar e absorver tudo ao meu redor.

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Assistir a própria decadência é algo muito sofrido e existente em noventa e nove por cento de todos nós,já que parece ser que de alguma maneira seremos fadados ao insucesso mesmo, nós termos buscados e até mesmo conquistado tudo aquilo que é chamado de relevante ou o melhor que se pode comprar e ter.
    Hoje,tenho trinta e sete anos, sou um depressivo com sentimentos profundos de derrotas, com tentativa de suicídio presente aos 23 e mais do que nunca agora. Acreditei que ter um bom emprego, casar e ter uma vida social era tudo que me parecia ser o correto mas, hoje, me vejo desempregado,divorciado e com alguns bens perdidos e muitas dividas no setor financeiro.
    A real,e a conclusão que o Eduardo Marinho já chegou é esta dentre milhões de pessoas: Falta de amor e afeto nas dificuldades ,empobrece e enfraquece e "mata" o semelhante até a morte de fato. Já me considero morto, espero que outras pessoas acordem o quanto antes pra não se ver sozinho sentando dentro da própria cabeça refletindo como a vida além de ter sido somente vazia qual será a melhor forma de acabar com a consciência e o corpo para que virem pó.

    ResponderExcluir

observar e absorver

Aqui procuramos causar reflexão.