domingo, 19 de fevereiro de 2017

O sistema tem suas raízes em cada um de nós


Uma sociedade verdadeiramente humana será uma sociedade onde não haverá miséria, ignorância e abandono - uma vergonha do passado, então inconcebível. Qualquer um que apresente qualquer argumento explicando a inviabilidade de uma sociedade assim, apenas me provoca um riso amargo. Não há produção suficiente de alimentos? Não existem conhecimentos, logística, condições de eliminar estas excrescências da face da terra? Ora, é claro que existem.
O que acontece é que a acumulação, a concentração de riquezas, propriedades e privilégios precisa roubar direitos, mantendo populações em condições de barbárie, precisa de ignorância, desinformação, miséria e abandono pra seguir explorando populações e saqueando riquezas, moendo gente, destruindo potenciais e vidas, sujando e envenenando, tanto o planeta quanto as almas, as mentalidades, os comportamentos. Devemos a isso o estado de degradação social em que vivemos.
Querer vencer na vida é sustentar isso. Competir é manter o modo de relacionamento social. Acreditar nas informações e "opiniões" dos veículos de comunicação é envenenar a mente e receber uma visão de mundo completamente distorcida. Querer o que é induzido pelo massacre publicitário em suas sutilezas sedutoras é o alimento do sistema social. Não ligar a violência e a criminalidade ao desequilíbrio social absurdo, à miséria, à pobreza e aos valores distorcidos pela publicidade e pela propaganda ideológica subliminar da mídia, acreditando que repressão e encarceramento são algum tipo de solução - ou mesmo contenção - pra situação de terror cotidiano, pros níveis de criminalidade, é ter a mente lavada, enxaguada, teleguiada, entorpecida e estupidificada. 
Pretender mudar um sistema que estimula a competição, o confronto e a disputa, confrontando, disputando e competindo - ainda mais dentro das instituições, infiltradas e dominadas pelos poderes econômicos - é de uma ingenuidade mais que inútil e incapaz. Acaba sendo a "prova" apontada pelos defensores deste sistema social criminoso de que a farsa política é realmente uma "democracia", alegando que não se poderia falar assim se não fosse uma democracia. Alegação mentirosa, obviamente. Pode-se falar como esses pretensos revolucionários falam porque eles não tem nenhum poder de mobilização popular, em seus condicionamentos de superioridade social, em seu doutrinarismo estéril, em sua arrogância e pretensão de liderar, organizar e conduzir as massas. Pensam que estão lutando por uma sociedade igualitária, mas estão é colaborando com essa estrutura desumana, ajudando a construir o cenário do teatro macabro. Se alcançassem humildade, perceberiam. Eu percebo que há muitos se tocando. O processo tem seu ritmo.
Em cada um de nós há raízes dos condicionamentos sociais produzidos em laboratórios de pensamento bem pagos, contratados por um punhado de parasitas sociais podres de ricos - que não participam do caos que provocam, cercados em suas fortalezas com muros eletrificados e exércitos bem armados de seguranças privadas. Estamos expostos a isso desde o útero materno e ingenuidade é pensar que nossa vontade é toda nossa, como nossa visão de mundo, opiniões, sentimentos, desejos,... esta percepção, a meu ver, é a primeira de todas. E o trabalho interno, o mais importante. A coletividade é formada por todos e cada um. Trabalhando em si mesmo, o trabalho se estende automaticamente ao coletivo, sem pretensões de ensinar, liderar ou conduzir. 

12 comentários:

  1. O senhor tem uma visão da sociedade diferenciada, e agradeço muito pela sua existência, ja fiquei por vezes depressivo por conseguir enxergar nas entrelinhas e me sentir impotente, tanta injustiça e desigualdade no mundo, um povo teleguiado pelas vias midiáticas e com pensamentos cada vez mais alimentados pelo ódio, e eu não conseguia me expressar com perfeição mas, quando vi o primeiro video seu cara... você disse as palavras que eu não soube dizer, desenterrou meus pensamentos e o que estava somente em mim eu pude compartilhar com outros, sou grato a você e digo que posso até não consiguir mudar o mundo mas, vou tornar ele o melhor possivel enquanto a minha existência, e meu primeiro objetivo será levar igualdade educacional a todos os brasileiros, não sei se vou conseguir mas, isso não me impede de tentar. Sou Davi Piedade, tenho 19 anos, moro na bahia, em camaçari, região metropolitana de salvador, assim que tiver dinheiro suficiente irei no rio exclusivamente pra te conhecer, para ouvir palavras de sabedoria do próprio Eduardo Marinho, o Filosofo do Sec XXI.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Eduardo. Tu és de uma eloquência incrível. Coaduno com suas palavras e elas me enriquessem.

    ResponderExcluir
  3. Há de se trabalhar a consciência plena sobre como realmente funciona este "sistema" em sua totalidade com suas armadilhas e sabotagens, mas para isso realizar antes a autoconsciência e sê-lo. Foioqueintendi ; )

    ResponderExcluir
  4. Enquanto vivermos neste planeta, seja de que modo for invariavelmente estamos e continuaremos sujeitos ao "sistema" preestabelecido. Não há outra saída, embora às vezes possa APARENTEMENTE haver alguma.

    ResponderExcluir
  5. "Mudar o mundo não é sua missão;
    Mudar a ti mesmo não é o seu dever;
    Despertar para sua verdadeira natureza é a sua oportunidade."
    (Mooji)

    ResponderExcluir
  6. De dentro tem que se começar...Obrigado!!!

    ResponderExcluir
  7. Mestre, obrigada! Ainda vou te conhecer pessoalmente.

    ResponderExcluir
  8. Concordo Eduardo , Passemos a ter consciência desse caos que é também um reflexo nosso interno, e pra mudar esse sistema devemos mudar primeiro em nós. Essa mudança acontecendo em nós sutilmente também mudara o coletivo, semelhante a uma onda que surge de pequenas deformações , assim também acredito que acontece esse processo pra uma sociedade genuinamente humana . De pequenas deformações em nosso cotidiano .

    ResponderExcluir
  9. Eduardo, Obrigada por tuas palavras. Vejo com teu trabalho que o mundo não é tão ruim assim, que não podemos desistir, que lamentar é se entregar á esta realidade, que ficar quieto é consentir, que não questionar é alienação mental. Acredito no hoje bem feito em prol do amanha melhor. Penso que quando TODOS formos movidos pela força do AMOR, tudo será melhor, um mundo bom e justo será a nova realidade. Grande abraço, obrigada por tudo.

    ResponderExcluir
  10. Caro Eduardo, parabéns pelo texto.
    Mas afirmar "Não ligar a violência e a criminalidade ao desequilíbrio social absurdo, à miséria, à pobreza" é sustentar que o material vale mais que o espiritual ou aos valores. Como explicar então a nossa elite, que abarrotada de riqueza é criminosa e violenta? Sobre este ponto recomendo a leitura do livro "Uma vida com propósitos " de Victor Frankil.
    Abraços

    ResponderExcluir
  11. O espaço de uma vida é pequeno para vermos tal mudança na sociedade. Ninguém pode mudar o mundo, mas podemos mudar e repensar nossos valores.

    ResponderExcluir

observar e absorver

Aqui procuramos causar reflexão.