sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Estamos em guerra - as empresas contra os povos.




Oficialmente o Brasil está em paz. A foto na Maré, há poucos dias, mostra o quanto a verdade oficial é mentirosa.

Estamos em guerra mundial. Em toda parte, em qualquer lugar. Onde se levanta a resistência, a repressão cai em cima, impiedosa. Os poderes da sociedade não se declaram, há uma infinidade de pretextos, biombos, cenários e discursos pra esconder as reais motivações de tamanha barbárie, tamanho inferno imposto a bilhões de seres viventes que apenas desejariam viver em paz.

Enquanto isso permanece a estrutura social infame. E nela vamos vivendo, pressionados, angustiados, ameaçados e submissos a valores falsos, correndo atrás de cenouras na ponta da vara, como burros puxando carroças. Romper essas barreiras é mais fácil do que nos fazem parecer. A vida não é uma competição permanente, vencer na vida não é um objetivo natural. Não nascemos pra vencer - essa é só mais uma mentira em que acreditamos idiotamente -, mas pra viver em harmonia na coletividade humana. A estrutura foi montada assim pra privilegiar elites e, pra isso, é preciso roubar direitos e distorcer a realidade de tal forma que não se enxergue o que acontece. Pra isso, é preciso falsear a realidade. E pra ter sucesso na farsa, é preciso impedir a instrução e a informação da maioria, é preciso impor sob ameaça o enquadramento nos comportamentos condicionados, dominar as comunicações e discriminar ou reprimir os que não se submetem.

Eu teria vergonha de querer o que me mandam querer, de viver como me mandam viver, de ser como me pressionaram a ser.

Há furos na blindagem informacional. Alarguemos esses furos. É preciso buscar as informações nos meios alternativos - a mídia comercial é desmascarada todo o tempo, mas ainda com pouco alcance, embora seja  bom lembrar que antes da net não havia alcance nenhum. Estamos em processo.

20 comentários:

  1. http://expressarporexpressar.blogspot.com.br/2013/10/jose.html

    ResponderExcluir
  2. E viva o processo do eterno agora! Abraço irmão.

    ResponderExcluir
  3. o processo é lento mas continuo...
    as mídias são tão manipuladoras que eu estou sempre me colocando em xeque sobre meus gostos, sempre que encontro algo novo que eu gosto eu logo desconfio! "se até agora eu nunca quis isso porque quero agora???" e logo percebo que ha varias citações (mesmo que sutis) nas mídias ou publicidades com algo parecido ao meu "novo" gosto e logo me desapego..... E a matriz se desfazendo!!! hehe
    È isso ai parceiro vamos alargar esse furo.. como tu me dissestes um dia "antes eramos raridades, agora ja somos poucos!"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Éramos exceções raríssimas. Continuamos exceções, mas cada vez mais numerosas. E uma característica forte das exceções é o poder de contaminação pelo exemplo, muito mais que por palavras.

      Excluir
    2. Por essa razão é preciso continuar e AVANÇAR, sem medo!

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. As pessoas precisam despertar seus pensamentos autônomos longe das manipulações das mídias, sem agredir o direito do próximo!

    ResponderExcluir
  6. Por favor criem um troféu para o fracasso.;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso seria uma contradição plena, Bianca. É preciso desprezar troféus.

      Excluir
  7. Mano Eduardo. Você está certíssimo. Olho para o Brasil, para os outros países e casa com tudo o que tu disse há quase 10 anos atrás? No Brasil ficou claro a questão das marionetes, dos Políticos e o Poder Econômico bem direcionado para destruir, construir, destruir e construir, alternando só as empresas que fazem este trabalho... É de uma psicopatia absurda e nos mata a alma meu amigo. Para mim a única mídia que tem o poder de inovação e independência é a Internet mano e aposentei a caixa mágica de pesadelos... Não doei, apenas destruí ela inteira... Como te enviei no e-mail... Sigo no caminho e aprendendo como uma criança. Forte abraço mano. :)

    ResponderExcluir
  8. Você disse as coisas mais lúcidas que já ouvi...vi (ainda) só um vídeo teu e fiquei estarrecida...é como se descortinassem minha visão, como se fizessem desaparecer a névoa da frente dos meus olhos...parabéns pelo trabalho...eis aqui mais uma admiradora =)

    ResponderExcluir
  9. mano eduardo, coerente como sempre, o meu sonho é juntar todas essas pessoas que pensam como ti, em algum lugar físico e começar a fazer a mudança, sonho que se sonha só é só um sonho, mas sonho que se sonha junto é realidade, é a difusão de conhecimento humano que irá agir e impregnar todos que ainda tem algum tipo de medo de viver assim, só precisamos nos unir, nos achar.

    ResponderExcluir
  10. "Há furos na blindagem informacional. Alarguemos esses furos"... Chegaremos lá!

    ResponderExcluir
  11. Eduardo, muita luz pra vc cara. sou teu fã mano!

    ResponderExcluir
  12. Belíssimas palavras, como sempre, Eduardo. Gostaria que você discorresse sobre as manifestações do dia 15. Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Não entrei na tua vida, parceiro, o que entrou foi uma visão de mundo, uma oportunidade de reflexão, de decisão e mudança. Eu fui apenas o instrumento do teu recado, sementes lançadas ao vento da vida que brotam ou não, nos lugares/pessoas onde caem, aí é da responsa de cada um.

    O que tu tá enxergando no sistema social já é enxergado há muito tempo, por poucos e lúcidos que trabalham no desvendamento dessa realidade que, pouco a pouco, aparece, assim como está aparecendo pra você.

    Boa sorte. Boas escolhas. Bons plantios costumam dar boas colheitas.

    ResponderExcluir
  14. https://www.youtube.com/watch?v=Zx0f_8FKMrY galera um documentário que corrobora com o assunto abordado no texto, muitos talvez já até tenham assistido.

    ResponderExcluir

observar e absorver

Aqui procuramos causar reflexão.