sexta-feira, 5 de novembro de 2021

Transcomunicação - já ouviu falar?

Transcomunicação é a comunicação entre dimensões diferentes. Nesse caso se trata de comunicação com a espiritualidade além da matéria densa como a conhecemos. Entre "vivos" e "mortos" - entre aspas porque, afinal, permanecemos todos vivos em dimensões de freqüências diferentes. Dei uma olhada no saite da Rede TCI Brasil e trouxe esse texto deles lá, sem autoria declarada.


"A palavra Transcomunicação é a combinação contraída dos vocábulos Transcendental + Comunicação.

A expressão foi concebida na Alemanha, nos anos 80, pelo físico, engenheiro e prof. Dr. Ernst Senkowski. Transcomunicação é um neologismo, que ainda não é encontrado em nenhum dicionário, muito embora já exista o termo Trans, através, para além, além de. Seria difícil encontrar uma outra denominação que melhor definisse essas comunicações transcendentais.

Usa-se, entretanto, esta terminologia de origem europeia, também para designar todo e qualquer tipo de comunicação entre mentes encarnadas e consciências sem corpos do plano extrafísico. Vale dizer que as comunicações mediúnicas obtidas através dos médiuns e conhecidas como psicofonia, psicografia, materializações, os fenômenos de voz direta ou de efeitos físicos, etc., constituem um importante grupo de transcomunicação. Mais precisamente: Transcomunicação Mediúnica.

Mas, por que introduzir essa “complicação”, se os velhos e consagrados vocábulos – médium, mediunidade, comunicação mediúnica, etc. – já funcionam tão bem? A razão dessa aparente sofisticação está na necessidade de se criar uma nomenclatura adequada ao desenvolvimento tecnológico da comunicação com os Espíritos.

É que, de uns tempos pra cá, vêm sendo obtidas comunicações tecnológicas diretamente por meio de aparelhos físicos, eletrônicos, sem a intermediação humana, a não ser em alguns casos, para melhor viabilizar a comunicação. A essa categoria de comunicações dá-se a denominação de Transcomunicação Instrumental, com o objetivo de evitar ampliação semântica de difícil entendimento. A nova nomenclatura resulta, portanto, em ordem e simplificação, dando maior precisão e entendimento aos vocábulos.

Neste portal, estamos nos detendo especificamente na Transcomunicação Instrumental, uma vez que sobre as outras formas já existe farta informação a respeito."


Tá chegando o tempo da ciência "descobrir" a espiritualidade, comprovando cientificamente, através de aparelhos e comunicações diretas. Esses aparelhos fariam contatos bem mais claros do que os mediúnicos. E com o seu inevitável desenvolvimento tecnológico poderíamos conversar com nossos ancestrais que já passaram pelo portal da morte. Imagino que seria preciso marcar hora, há muito o que fazer sempre, né, tanto aqui quando lá, imagino eu. Pelo que li em psicografias, trabalho não falta na espiritualidade - ainda bem, desde criança a idéia de ficar em eterna beatitude, sem fazer nada além de entoar cânticos ouvindo harpa e olhando pra sempre a face de Deus me pareceu estranha, meio apavorante. Por mais divina que seja a face, eternamente não dá. Pensava, mas não dizia, por medo de ser chamado de herege.

Sempre senti a espiritualidade e não me surpreende o desenvolvimento desses aparelhos. Diante da descrença eu silencio, mas na vida tive uma quantidade incontável de "inexplicáveis", "acasos" e "coincidências" inacreditáveis, sem falar nos "casuais" convites pra ir a sessões mediúnicas, de raro em raro, mas que davam em toques, esclarecimentos, recomendações, avisos sempre valiosos. Sei que taí, apenas não tento entender muito, aceito e aprendo a tratar, a partir da relação comigo mesmo. Sei que tô de passagem, tenho muito a aprender e funções a cumprir no meio da família planetária, ainda que só à minha volta e dentro do meu pequeno alcance.

16 comentários:

  1. Gratidão, inspirador p um jovem de 21 anos

    ResponderExcluir
  2. Conexão pisco neural com o plano maior onde alguns acessam de forma natural, outros por estímulos na região do hipotálamo onde está localizada a hipófise ( o olho que tudo deveria ver) Acontece, pois que você FALA um idioma indiscernível ao ser banal, mas inteligível à todos. Um passo à telecinese que já não requer nem gestos nem ações nossas. Dons de altas classes.
    https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Dimetiltriptamina <Pra "enlouquecer assim" esse gatilho me mostrou um pouco do que é real e alucinação.
    Estão procurando êxtase alucinotico atrás do sentimento todo esse mantido.
    O joio do trigo é facilmente separado ao observar (quando oportunizado) alguns desses que dizem "falar em línguas".

    ResponderExcluir
  3. Sentimento da banalidade do mal.
    O conforto desconfortável... Início das dores.

    ResponderExcluir
  4. Eu sinceramente considero essa tendência ao espiritismo como uma fraqueza e uma derrota. O sistema que tanto criticamos gosta quando somos alistados nas fileiras que cada vez engrossam mais, daqueles que para não enlouquecerem se adequam a uma agremiação religiosa. A fé é a derrota do raciocínio. É loucura, é negação da razão, essa mesma razão que deveria nos nortear até o final. Acreditar em reencarnação, acreditar em imortalidade da alma é jogar a toalha e assumir que o sistema venceu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente, antes de eu ter contato com a internet só em 2008,fui evangélico por dez anos, mas ao conhecer o Google tive todas as respostas,eu era muito infeliz tinha que reverenciar um Deus que prometia muita coisa e não cumpria nada nem os castigos.Realmente ser ateu é ser lúcido,enchergar que o mundo é real, até essa espiritualidade que o Eduardo acredita pra mim é pura imaginação, Mas todos tem direito.somos apenas energia e matéria, morremos e acabaremos,esse negócio de Fé é pura infantilidade.

      Excluir
    2. Mas Halle pense comigo, não percebe que estamos em uma fase transitória em que oque antes era chamado de acreditar no invisível e se contentar com isso e não duvidar nem por um segundo de sua fé hoje estamos caminhando a provar cientificamente com a razão sobre a espiritualidade, o espiritismo ele anda lado a lado com a ciência e te coloca a sempre duvidar e questionar, chegará um tempo onde ciência e espiritualidade se unirão e descobriremos com efetividade o outro lado da história.

      Excluir
    3. Estude física quântica, vera que o novo paradigma ira se instaurar um dia, materialismo científico é furada, vai ser superado

      Excluir
    4. Eu tambem penso assim as vezes.. Mas se comecar a olhar para o ceu e ver as estrelas, tao grande que isto é, ou a beleza de uma folha ou uma gota de agua.. Nao existem milagres, ou tudo é um grande milagre. Talvez a nossa espiritualidade tenha sido enquadrada tambem, tal como a nossa educacao.. Talvez as religioes antigas antes deste mundo moderno fossem mais ricas e proximas da mae natureza. Olhar de noite para a Lua é fascinante, olhar nos olhos de alguem é algo sem explicacao. Tudo se torna tao unico e grandioso que até um grao de areia pode ser uma galáxia.

      Excluir
    5. Falou td... Tb penso assim.

      Excluir
    6. Acreditar que não existe nada além é como acreditar que existe algo além. Não podemos provar nem um nem outro. A fé que não existe nada é religião vezes menos um. Tenho dúvidas, mas minha razão não tem força pra me jogar pra nenhum lado. Balanço os pés no muro da duvida, com um pé de cada lado, rs

      Excluir
  5. Fé ? O que é ? Eduardo explica muito bem, e tranquilamente algo de experiência pessoal, que é o que cada um deveria refletir, em suas particularidades.
    Fé significado: Convicção da existência de algum fato ou da veracidade de alguma asserção; credulidade, crença: “De fato, como ia ter fé no progresso e na ciência, ter fé nos técnicos e nos especialistas que, teoricamente, orientariam e dirigiriam o país, se os critérios e objetivos eram sempre traçados pelos interesses de alguns?” ... A experiência de cada um pode ser levada por sua própria fé. Mas será que todos têm a mesma fé? A fé pode ser um conjunto. Há semelhanças, alguns podem estar certos, outros equivocados. Mas sempre acho que em todos os tipos de fé, obter a certeza absoluta das coisas que é infantilidade. Deveríamos ter mais humildade aqui, fé no coletivo, como sinto nos sentidos das escritas de Eduardo. E deixar fé de qualidade ao menos, se é este o sentido.

    ResponderExcluir
  6. Vaidade das vaidades, diz o Eclesiastes, vaidade das vaidades! Tudo é vaidade.

    ResponderExcluir
  7. Querido Eduardo,
    Gravo há alguns anos em momentos de silêncio, com o que tiver à mão, e depois ouvindo com atenção volta e meia aparece alguma voz, alguém passando por ali lá do outro lado. Também silencio frente à descrença, e ouço os choros e lamentos do outro lado da muralha intelectualista.
    Abs,
    Fred

    ResponderExcluir
  8. Acreditar que não existe nada além é como acreditar que existe algo além. Não podemos provar nem um nem outro. A fé que não existe nada é religião vezes menos um. Tenho dúvidas, mas minha razão não tem força pra me jogar pra nenhum lado. Balanço os pés no muro da duvida, com um pé de cada lado, rs

    ResponderExcluir
  9. Caro Eduardo, saber de sua existência foi uma grande alegria. Sua trajetória íntegra e seus valores internos, são de uma grande honestidade e coerência. Sua consciência nunca lhe permitiu extravios, exigiu de você e você foi fundo. E viu a vida como ela é. Maquiagem só atrapalha, né. Então, eu, desde menina, também me questionava muito sobre a vida. Do meu jeito, também fui à luta. Sempre busquei entender por que vivemos e qual nossa missão na terra. Numa certa ocasião, quando jovem, ainda me sentindo sem rumo, para aliviar minha dor interna, deitava e imaginava que tinha morrido. Sempre entendi a vida como uma dádiva, longe de mim pensar em acabar com ela. Mas, imaginar isso, era uma forma de aliviar meu sentir. E tive a mais bela experiência, porque entendi que eu sempre existiria. Pude vivenciar uma expansão da consciência. A vida é um sopro e a melhor riqueza, que podemos alcançar e ninguém rouba, é o conhecimento que nos faz transcender as limitações físicas. Também tinha o hábito de imaginar que extra terrestres me buscavam. Sabia, claro, que era uma ficção, uma doideira minha... E, um dia em sonho , recebi visita de seres que não eram deste planeta. Eu estava deitada em minha cama, eles me examinaram e concluíram que eu não poderia ir com eles. Disseram que eu não estava e foram embora. Real ou fictício, me trouxe uma mensagem. Quem pode opinar sobre as experiências pessoais, se nunca viveu algo idêntico? A recusa não me frustrou, pelo contrário, me senti atendida em meu pedido, mas o problema é que eu ainda não estava preparada. O que seria estar preparada? Entendi que havia algo a fazer e, continuei buscando me entender e à vida. Curioso, que ao ler alguns comentários acima, pude perceber a diversidade das mentes humanas, como cada um capta a vida e a entende. Não é por que eu não conheço algo, que tenho autoridade para dizer que não existe, penso eu. Existe uma grande diferença entre os vocábulos "crer" e "saber", acreditar e viver, religião e espiritualidade, vida e existência, alma e espírito. Muitos conceitos interessantes e que fazem todo o sentido pra mim, aprendi e aprendo estudando Logosofia. O problema é acharmos que somos só razão. E a sensibilidade, onde fica? As religiões foram criadas pelo homem, a espiritualidade é algo inerente ao homem. Além dos olhos físicos, precisamos abrir os olhos do entendimento, numa parceria da razão com a sensibilidade. O mundo mental é tão real como o físico, só não temos conhecimento para percebê-lo e adentrá-lo. É o conhecimento do mundo mental, transcendente, que o ser humano precisa buscar, dominar e não se deixar dominar por pensamentos alheios à verdadeira evolução. O que se vê muito, é manipulação. Como você muito bem diz, o percurso dos loucos, será amanhã o caminho dos sábios( algo parecido). É sempre um prazer escutá-lo ou ler o que escreve, porque você tem verdade e coerência. Entendo que o mundo só será melhor, quando cada um de nós for melhor. A vida é movimento, é busca, é aprendizado e colaboração. É sobretudo aprender a se conectar ao Amor Universal. Você faz um trabalho lindo, trazendo reflexões e dando seu exemplo de lucidez e coerência. O Brasil e o mundo precisam de mais lucidez. Deixo meu fraterno abraço.

    ResponderExcluir

observar e absorver

Aqui procuramos causar reflexão.